Quinta-feira, 12 de Julho de 2012

Procissão sem culto religioso passa nos jardins do Palácio Vila Flor

Os jardins do Palácio Vila Flor, em Guimarães, vão ser local de passagem para a Procissão K2, um espetáculo que enaltece conceitos como "tribo", "migração", num culto sem sentido religioso, mas "com grande carga emocional".

 


 

Procissão K2 é um espetáculo desenvolvido ao abrigo da Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012, que "envolve dança, teatro, música, mas no sentido inverso ao tradicional", afirmou em entrevista à agência Lusa a encenadora Isabel Barros.

 

Esta é uma coprodução com o Balleteatro, que envolve finalistas dos cursos de ballet e teatro e jovens vimaranenses que se candidataram a um "lugar na tribo" desenvolvida em regime de residência artística ao longo de três semanas.

 

"Um dos desafios a que me propus foi saber como iria conseguir motivar um grupo de pessoas tão jovens para um projeto que não só não é comercial como é anticonvencional", explicou Isabel Barros.

 

Os jardins do Vila Flor "não são o palco" do espetáculo, mas "apenas um local de passagem" para aquele bando, "um grupo de pessoas que faz algo comum na história, quer ao homem quer aos animais, migrarem, em conjunto, em marcha".

 

K2 foi feito a pensar na disposição dos jardins do Vila Flor, mas, explicou a criadora, "faz parte da narrativa do espetáculo a visão que a peça não começa nem acaba ali. O grupo vem de algum lado e segue caminho para outro qualquer sítio. Há continuidade".

 

A procissão não conta uma história, mas "segue uma narrativa interna", segundo Isabel Barros, mas esta "não está ao alcance do público porque faz parte do código do bando".

 

Apesar do nome remeter para um conceito ligado à religião, procissão, "K2 tem essa noção de culto, mas sem nenhuma religiosidade", embora "integre conceitos "com grande carga emocional".

 

Isabel Barros identifica nesta procissão "memórias e vidas passadas" representadas ao ritmo da voz que sai dos altifalantes. "A base mais forte da procissão é o trabalho de voz e de corpo, assim como a relação com o espaço", afirmou a coreógrafa.

 

Embora pensado para os jardins do Vila Flor e para Guimarães 2012, esta não é uma criação inédita, uma vez que esta procissão já passou por Matosinhos, a propósito da abertura do Teatro Constantino Nery.

 

"Porquê este nome? A procissão é uma passagem. K, é o fator incógnita, desconhecido. E 2 porque a K já passou", disse Isabel Barros.

O espetáculo estreia na quinta-feira e passará pelos jardins do Palácio Vila Flor até sábado, pelas 19h. A entrada é gratuita.

 

SAPO Notícias/Agência Lusa

Imagem: João Octávio Peixoto/Guimarães 2012

publicado por Equipa SAPO às 15:21
link do post | comentar | favorito

Cultura na cidade-berço

Guimarães é Capital Europeia da Cultura durante 2012. O SAPO Notícias quer sentir o pulso à cidade-berço através de reportagens, testemunhos e curiosidades.

Categorias

. Página inicial
. Em foco
. Locais
. Testemunhos

Agenda

Confira a programação completa da Capital Europeia da Cultura no site oficial.

Pesquisa

Posts recentes

Procissão sem culto relig...

Canal de vídeos Guimarães 2012 no SAPO

tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds