Sexta-feira, 31 de Agosto de 2012

Emigrantes vimaranenses reconhecem uma cidade mais limpa e segura

Em ano de Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012, a cidade ficou mais limpa, policiada e com mais razões para ter saudades, dizem emigrantes vimaranenses que regressam todos os anos "à terrinha", no "querido mês de agosto".

 


Num concelho marcado pela emigração, as ruas e praças do Centro Histórico, durante os meses de férias, enchem-se de matrículas estrangeiras e de homens e mulheres, com sotaques estranhos, que pedem café com "lait".

 

Este ano, voltaram à cidade no verão da Capital Europeia da Cultura, vindos de Paris, da Suíça, do Luxemburgo e, numa vaga migratória mais recente, de Angola, para reconhecerem uma cidade diferente que os "enche de orgulho". Num ano, dizem, "a cidade mudou".

 

Numa mesa de café, no Toural, a Lusa encontrou Carlos Jesus ou "Biguinha", como é conhecido pelas ruas da cidade. Está em França, Paris, há 16 anos, voltou às lides vimaranenses para as férias e encontrou a mesma cidade, mas diferente.

 

"Vivo na cidade há 55 anos, estou fora há 16, mas evidentemente que notei diferenças. Há mais 'pessoal', espetáculos. As ruas estão bonitas, mas uma das coisas que eu reparei foi a limpeza. A cidade está muito bonita e limpinha", afirmou.

 

Entre a "emigrantada" e os turistas, "Biguinha" apontou as "coisas" novas na cidade, fruto das obras, ao abrigo de Guimarães 2012. "A zona de Couros, o jardim do Toural, o antigo Mercado Municipal, está tudo muito bonito. Gostava que isto continuasse assim", desejou. E o que sente por esta "nova" cidade? "Orgulho. Tudo que é da cidade Guimarães é bonito", respondeu.

 

Na mesma praça, na mesma rua, José Pereira, há 40 anos em França, passeia com a família, mulher e duas filhas. "Estou agora a ver as mudanças. Acho bonito", disse à Lusa. Mas, embora seja de cultura que se fala na cidade, outros equipamentos chamaram a atenção a este emigrante. "Por enquanto, vimos o centro comercial. Está muito bonito", referiu, explicando que "agora", depois da visita ao hipermercado, vai mostrar às filhas "Portugal, que elas pouco conhecem".

 

Da rua para a mesa de café de "Biguinha", da Europa para a África, surge outro emigrante, João Batista, em Angola há cinco anos. De 2011 para 2012 garante que as diferenças são "muitas", em Guimarães.

 

"É uma cidade muito mais moderna, limpa; muita autoridade que se vê pela rua, muito diferente", descreveu. Para este português vimaranense, ao fim de um ano, há uma "outra cidade" para ver. "Tenho que voltar a descobrir a cidade, sempre com mudanças", admitiu.

 

Apesar das alterações, para este João Batista, porém, uma coisa nunca muda - a partida. "A partida para a África é sempre difícil", assegurou.

 

Numa cidade marcada por 41 milhões de euros em obras, que se preparou para mais de 900 eventos culturais e milhares de turistas, em 2012, com mais polícia na rua e "muito mais limpeza", as diferenças entre Guimarães do ano passado e deste ano podem até ser explicadas de uma forma simples.

"É como tudo: na Páscoa as senhoras também limpam mais a casa", resumiu "Biguinha".

 

Agência Lusa/SAPO Notícias

publicado por Equipa SAPO às 11:44
link do post | comentar | favorito

Cultura na cidade-berço

Guimarães é Capital Europeia da Cultura durante 2012. O SAPO Notícias quer sentir o pulso à cidade-berço através de reportagens, testemunhos e curiosidades.

Categorias

. Página inicial
. Em foco
. Locais
. Testemunhos

Agenda

Confira a programação completa da Capital Europeia da Cultura no site oficial.

Pesquisa

Posts recentes

Emigrantes vimaranenses r...

Canal de vídeos Guimarães 2012 no SAPO

tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds