Quarta-feira, 11 de Julho de 2012

Plataforma das Artes quer ser novo polo cultural da cidade

O antigo mercado municipal de Guimarães é agora casa para um novo espaço da Capital Europeia da Cultura. Os portões e a estrutura do mercado foram mantidos mas no pátio interno ergue-se um edifício que contrasta de forma discreta com aquele cenário. É a Plataforma das Artes e da Criatividade.

 


 

O edifício, inaugurado no final de junho, quer reforçar a presença das artes plásticas na agenda da cidade, que até então não tinha um espaço de grandes dimensões para a realização de exposições. As obras demoraram pouco mais de um ano e o valor global do investimento foi de cerca de 16,6 milhões de euros.

 

A Plataforma das Artes apresenta ao público a exposição “Para além da história”, “uma exposição construída a partir da obra de José de Guimarães e a partir da coleção do artista”, explicou ao SAPO Notícias José Bastos, administrador da Oficina, instituição que gere a Plataforma das Artes e o Centro Cultural Vila Flor.

 

O espaço exterior do edifício salta à vista com dezenas de bancos que fazem lembrar o símbolo da Capital Europeia da Cultura. O coração de Guimarães 2012 encontra-se mesmo fixado à entrada da Plataforma das Artes.

 

“A praça exterior é um espaço que foi devolvido à fruição da população e que será também usado para programação cultural”, referiu José Bastos.

 

O ciclo Plataforma da Música arranca este sábado e vai transformar a praça exterior num grande palco. Até ao final de julho, o espaço recebe Manuel d’Oliveira, acompanhado por Carles Benavent e Jorge Pardo (dia 14), Dee Dee Bridgewater (dia 20), Pat Metheny (dia 21) e Ute Lemper (dia 28).

 

Em agosto, a programação é dedicada à música nacional. Na sexta-feira, dia 3, a Plataforma das Artes e da Criatividade dedica uma noite ao Fado com a presença de Carminho, Cuca Roseta e Ricardo Ribeiro. Nos dias 4 e 5, o ciclo encerra com os GNR e Zé Perdigão. Os bilhetes custam entre 5 a 10 euros, dependendo dos concertos.

 

Alice Barcellos/SAPO Notícias

publicado por Equipa SAPO às 11:27
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2012

Antiga fábrica ASA dá lugar a plataforma de criação artística

A antiga Fábrica ASA, em Guimarães é hoje um Laboratório de Curadoria, uma "plataforma" de "apresentação de processos artísticos". A reabilitação do edifício insere-se no programa de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura.

 


Saíram os panos, as máquinas de fiar e os operários têxteis. Entraram designers, arquitetos, estudantes e artistas, ao abrigo do Laboratório de Curadoria, um projeto de Gabriela Vaz- Pinheiro, que está a transformar a antiga unidade fabril num "monumento para a cidade". Em entrevista à Agência Lusa, Gabriela Vaz-Pinheiro explicou que o projeto vai permitir criar "uma plataforma que permite aos artistas apresentarem processos de trabalho e criarem contacto com as audiências".

 

Num processo fluído, o Laboratório de Curadoria permitirá momentos de discussão, divididos em três etapas. A primeira arranca no próximo sábado, e vai chamar-se "Cruzamentos e Encenações". O segundo momento, a decorrer de junho a setembro, será o de "Documentação e Discurso", seguido por "Nomadismo e Disseminação", até dezembro.

 

A responsável pelo projeto explicou que a escolha do edifício fora do centro histórico é uma forma de "capacitação" da área. "O centro histórico de Guimarães é um valor seguro, bem vivido e bem tratado, mas não existe sem o que está à sua volta", explicou a arquiteta. No próximo sábado vai ser apresentado o trabalho desenvolvido no workshop de 30 dias "Construir Juntos", a cargo do coletivo EXYZT, coordenado pelo arquiteto Alex Roemer.

 

"Viemos para este espaço para criar o cenário do Laboratório de Curadoria", contou à Lusa o artista. Deste cenário faz parte um auditório em madeira, que está a ser construído com a colaboração de alunos de arquitetura da Universidade do Minho e da Faculdade de Belas Artes do Porto. Uma voluntária do projeto "Construir Juntos", Patrícia Gomes, descreveu o auditório que está a ser criado como um monumento para a cidade, não sendo só uma estrutura arquitetónica.

 

Estes "carpinteiros", revelou Roemer, "trabalham, comem, dormem e vivem dentro da fábrica" pelo que, à entrada do "estaleiro", foi construído uma camarata, também em madeira, com sala de trabalho comum, cozinha e tudo o que uma casa tem.

 

Agência Lusa

publicado por Equipa SAPO às 15:04
link do post | comentar | favorito

Cultura na cidade-berço

Guimarães é Capital Europeia da Cultura durante 2012. O SAPO Notícias quer sentir o pulso à cidade-berço através de reportagens, testemunhos e curiosidades.

Categorias

. Página inicial
. Em foco
. Locais
. Testemunhos

Agenda

Confira a programação completa da Capital Europeia da Cultura no site oficial.

Pesquisa

Posts recentes

Plataforma das Artes quer...

Antiga fábrica ASA dá lug...

Canal de vídeos Guimarães 2012 no SAPO

tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds