Sexta-feira, 31 de Agosto de 2012

Cinema e música são duas apostas que se renovam em setembro em Guimarães 2012

O cinema brasileiro está em destaque em Guimarães 2012, no mês de setembro, com dois ciclos, e a música continua a encher o calendário da programação com destaque para a presença da violinista Viktoria Mullova e de Howe Gelb.


Cena do filme “Riscado”, de Gustavo Pizzi

 

O “Novíssimo cinema brasileiro” é o título do primeiro ciclo deste mês, que, entre 09 e 13 de setembro, dá a conhecer algumas das películas mais recentes deste país, numa progração definida por Américo Santos, do Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira, em sessões a decorrer no São Mamede.

 

São cinco filmes nunca estreados em Portugal, o mais antigo de 2007, que, segundo o programa, saem das mãos de “jovens cineastas que recusam um olhar televisivo e procuram retratar um Brasil sem enfeites, sem clichés”.

 

A mostra abre com “Riscado”, de Gustavo Pizzi, seguindo-se, a 10, “O Céu sobre os ombros”, de Sérgio Borges, que aborda o mundo da prostituição e da transexualidade.

 

A 11 de setembro, a noite é para ver “A falta que nos move”, de Christiane Jathay e, a 12, um filme que retrata o pesadelo social brasileiro, “A casa de Alice”, realizado por Chico Teixeira.

 

O ciclo encerra com um “road movie”, “Além da Estrada”, a estreia de Charly Braun, que recolheu alguns prémios em vários festivais internacionais.

É a Glauber Rocha (1939-1981), figura tutelar do “cinema novo” brasileiro, que é dedicado o segundo episódio deste mês dedicado ao Brasil, com a exibição de cinco filmes essenciais do realizador, também no São Mamede, entre 16 e 20 de setembro. O seu primeiro filme, “Barravento”, abre a mostra, seguindo-se “Deus e o diabo na terra do sul”, um retrato da pobreza e da violência no nordeste brasileiro.

 

“Terra em transe”, o filme que o consagrou, ao receber em Cannes, em 1967, o Prémio da Crítica, é exibido a 18 de setembro, seguindo-se “António das mortes”, também premiado em Cannes, mas com o prémio para a melhor realização.

 

O ciclo encerra com a “Idade da Terra”, justamente o último filme do realizador e um dos mais polémicos da sua carreira.

 

A mostra decorre em parceria com a Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, que vai exibir as mesmas obras do cineasta.

 

Música clássica em destaque

 

A música clássica vai continuar também a preencher a programação da Capital Europeia da Cultura, com destaque para a presença, este mês, no dia 14, da violinista de origem russa Viktoria Mullova que, com a Fundação Orquestra Estúdio, interpretará obras de Shostakovich, Strauss e Ravel e, em estreia absoluta, “Contraluz” do compositor português Pedro Faria.

 

Viktoria Mullova, conhecida pelas interpretações de JS Bach, Tchaikovsky ou Sibelius, mas também de composições vindas de outros universos, como os de Miles Davies, Duke Ellington, Alanis Morissette, Youssou N'Dour ou dos Beatles, ficou mundialmente conhecida quando em 1982, quando fugiu da URSS, aproveitando uma atuação na Finlândia, pouco depois de ter conquistado a Medalha de Ouro no Concurso Internacional Tchaikovsky, em Moscovo.

 

Com o namorado maestro e disfarçada com uma peruca loura, Mullova viajou com a ajuda de um jornalista para a Suécia, nesses anos da Guerra Fria, para descobrir fechada a embaixada norte-americana, onde tencionava pedir asilo político. Permaneceu dois dias fechada num quarto de hotel, enquanto as suas fotografias chegavam às primeiras páginas dos jornais.

 

Durante o mês de setembro, voltam a visitar Guimarães as orquestras do Algarve (a 7), a de Macau (a 22) e a Sinfónica do Porto (a 29), reforçando a aposta na música clássica, enquanto os amantes de outros géneros musicais vão ter de se contentar com a presença quase solitária de Howe Gelb, uma voz que ressoa à América profunda, algures entre Bob Dylan e Neil Young e que é a alma de projetos como Giant Sand ou Arizona Amp and Alternator.

 

Agência Lusa/SAPO Notícias

publicado por Equipa SAPO às 11:36
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 2 de Março de 2012

Programação: É tempo para criar em Guimarães

Os Fura Dels Baus regressam em março à Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012, num mês dominado pelas artes performativas, pela estreia da obra encomendada ao compositor Wim Merters e pela abertura da exposição dedicada ao arquiteto Nuno Portas.


O terceiro mês do ano marca ainda a abertura do ciclo "Tempo para Criar" de Guimarães 2012, pela homenagem a Martins Sarmento com uma exposição integrada na iniciativa "Reimaginar Guimarães" e pela evocação de John Cage em Conceptualizing Cage Now.

 

Depois da aposta ganha no grupo catalão La Fura dels Baus para abrir a Capital Europeia da Cultura (CEC), a companhia volta a Guimarães para um segundo espetáculo de rua, a 24 de março, com o qual se inicia o "segundo tempo" de Guimarães 2012, "Tempo para Criar".

 

Num mês marcado pelas artes performativas, a "Morte de Danton", com encenação de Jorge Silva Melo, é a primeira peça a subir ao palco do Centro Cultural Vila Flor, estreando-se a 02 de março.

 

Segue-se, a 09 de março, o "Lamento de Branca de Neve", na interpretação da coreografa Olga Mesa, mais uma estreia absoluta ao abrigo de Guimarães 2012.

 

Destaque também para o retrato do cativeiro político de Portugal, antes do 25 de abril, através da história de Carlos Costa, companheiro de Álvaro Cunhal na fuga da cadeia de Peniche, feito em "Diz-lhe que não falarei nem que me matem", em cena de 15 a 17 de março.

 

A dança assume protagonismo na obra "A Viagem", de 16 a 17 de março na ASA, num espetáculo que pretende estabelecer linhas de comunicação entre performances de dança com linguagens opostas, mais uma criação original de Guimarães 2012.

 

Exposições


Quanto a exposições, o elogio a Nuno Portas marca o mês, com a abertura a 10 de março, da exposição "O ser urbano", uma abordagem às diversas escalas, formas de pensar e fazer a cidade, conduzida pela vida e a obra do arquiteto, até 20 de maio no espaço ASA.

 

Também John Cage é lembrado por Guimarães 2012 com "Conceptualizing Cage Now", que entre 10 de março e 29 de abril pretende apresentar uma releitura do experimentalismo radical de Cage. A exposição pode ser vista no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitetura.

 

Integrada na iniciativa "Reimaginar Guimarães", a CEC relembra, de 9 de março a 8 de abril, uma figura marcante da vida cultural vimaranense com a exposição Fotógrafo Martins Sarmento, a cargo de Jorge Campos.

 

Música


Já na música, as expectativas viram-se para a estreia da obra encomendada ao compositor flamengo Wim Mertens, apresentada dia 7. Intitulada de "Europa" a criação de Mertens, assim como algum reportório do compositor, sobe ao palco pela Fundação Orquestra Estúdio.

 

A série Master Pices tem, novamente, destaque este mês com a vinda à CEC de Guy Braunstein, concertino da Orquestra Filarmónica de Berlim, para a estreia mundial de mais uma obra encomendada ao abrigo de Guimarães2012.

 

Desta feita, a 14 de março ouvir-se-á pela primeira vez "A incrível jornada de Sousa Mendes", de Nuno Corte-Real.

 

Agência Lusa

publicado por Equipa SAPO às 09:49
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012

Dez momentos da agenda cultural de Guimarães

O programa da Capital Europeia da Cultura divide-se por mais de 600 espetáculos. Guimarães será a principal estrela da companhia, com aposta nas residências artísticas e na produção feita na cidade. Espreitamos a agenda e destacamos dez momentos culturais.

 

21 de janeiro: É o arranque oficial da Capital Europeia da Cultura (CEC). A cerimónia de abertura “Os Nossos Afetos” decorre no Pavilhão Multiusos às 18h e conta com as atuações do guitarrista vimaranense Manuel d'Oliveira, Cristina Branco, Rão Kyao e Chico César. À noite, a festa acontece no renovado Largo do Toural com o espetáculo dos La Fura dels Baus – uma performance multimédia chamada "Berço de uma Nação".

 

28 e 29 de janeiro: A 28 de janeiro, os Buraka Som Sistema tomam de assalto o Multiusos. No dia seguinte, há destaque para o cinema com a apresentação do filme de Rodrigo Areias, realizador vimaranense, “Estrada de palha” - um western com música ao vivo de The Legendary Tiger Man e Rita Red Shoes. Antes disso, o Centro de Artes e Espetáculo de São Mamede recebe a ante-estreia do filme “Os Marretas”.

 

1 a 11 de fevereiro: Nos primeiros dias de fevereiro é tempo para a dança contemporânea no festival GUIDance, no Centro Cultural Vila Flor. Além da presença das companhias Les Ballets C. de la B. e Rosas e dos bailarinos portugueses Sofia Dias e Vítor Roriz, há também workshops e masterclasses para profissionais e amadores.

 

1 de março: Estreia no Centro para os Assuntos de Arte e Arquitetura a retrospetiva da obra de John Cage “The Anarchy of Silence”, que pretende mostrar as ligações do trabalho deste compositor com as artes visuais, as artes performativas e o cinema.

 

24 de março: Marca o encerramento da primeira parte da programação e o início de um novo ciclo. O Centro Cultural Vila Flor acolhe o espetáculo de dança “Pororoca” da coreógrafa Lia Rodrigues.

 

1 a 6 de julho: Ciclo dedicado ao cineasta Jean Luc Godard que culmina com a estreia de um filme encomendado e produzido pelo realizador propositadamente para Guimarães 2012. Ao longo do ano, acontecem 20 estreias de filmes encomendados pela organização da CEC.

 

12 a 14 de julho: Uma noite para sonhar com Guimarães é a proposta do evento de rua “Noite Branca”, que promete integrar atividades lúdicas e culturais nos espaços públicos da cidade. Já no dia 14, saí às ruas a “Procissão K2”, que vai representar uma população que acredita numa religião inexistente. A performance tem texto original de Valter Hugo Mãe, coreografia de Isabel Barros e música de Jonathan Saldanha.

 

14 a 16 de setembro: Já é uma tradição em Guimarães, não fosse o castelo um dos símbolos da cidade-berço. A Feira Afonsina vai encher as ruas de recriações medievais, mas vai ganhar uma nova interpretação e fôlego com a Capital Europeia da Cultura.

 

20 de outubro a 10 de novembro: Exposição das esculturas urbanas selecionadas no âmbito do projeto “Made in”, que visa instalar em permanência num espaço público da cidade uma peça tridimensional.

 

7 de dezembro: Estreia no Centro Cultural Vila Flor o espetáculo “Cidade de Guimarães”, com encenação de Miguel Seabra. A peça assenta na reflexão sobre a memória e o passado da cidade – lendas, histórias miscigenadas, paisagens e a realidade que hoje a habita.

 

Durante o ano vai haver ainda os concertos de Pat Metheny (julho) e Ivan Lins (novembro). A partir de outubro, o artista plástico italiano Michelangelo Pistoletto apresenta um projeto de instalações concebido para Guimarães 2012, que vai ocupar espaços como o Paço dos Duques ou a Fábrica ASA, antigo espaço fabril agora reabilitado para receber atividades culturais.

 

Alice Barcellos/SAPO Notícias

publicado por Equipa SAPO às 15:29
link do post | comentar | favorito

Cultura na cidade-berço

Guimarães é Capital Europeia da Cultura durante 2012. O SAPO Notícias quer sentir o pulso à cidade-berço através de reportagens, testemunhos e curiosidades.

Categorias

. Página inicial
. Em foco
. Locais
. Testemunhos

Agenda

Confira a programação completa da Capital Europeia da Cultura no site oficial.

Pesquisa

Posts recentes

Cinema e música são duas ...

Programação: É tempo para...

Dez momentos da agenda cu...

Canal de vídeos Guimarães 2012 no SAPO

tags

todas as tags

blogs SAPO

Subscrever feeds